Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Todos os Livros

Todas as novidades literárias das editoras portuguesas.

Todos os Livros

Todas as novidades literárias das editoras portuguesas.

21
Set17

1147 - Miguel Gomes Martins

A Conquista de Lisboa na Rota da Segunda Cruzada

capa

Editora: A Esfera dos Livros -  400 páginas - Lançamento: setembro de 2017

 

«Na manhã do dia 3 de Agosto de 1147, os combatentes cristãos estacionados em redor de Lisboa ultimavam os preparativos para o assalto à cidade. Não é difícil imaginar a azáfama nos três acampamentos, com esses homens a fazer as derradeiras verificações no armamento, a comer uma refeição que poderia ser a última, a despedir-se das companheiras, a rezar e a confessar-se, ou seja, a preparar o corpo e o espírito para o que se iria seguir.»

 

A conquista de Lisboa aos muçulmanos, comandada por D. Afonso Henriques e coadjuvada pelos Cruzados, teve início em Julho de 1147 e terminou em Outubro do mesmo ano. Como decorreram os primeiros embates e as primeiras negociações? Como foram instalados os arraiais e progressivamente dominadas as imediações da cidade? Como foram geridos os mantimentos durante os quatro meses que durou o cerco? Que máquinas de guerra se usaram para derrubar o inimigo? E, uma vez conquistada Lisboa, que rumo tomou a Segunda Cruzada antes de terminar no falhanço de Damasco?

 

Partindo de novas informações sobre a História Militar da Idade Média, a Lisboa muçulmana e a História da Cruzada, Miguel Gomes Martins reconstitui, de uma forma rigorosa e eloquente, este acontecimento decisivo na nossa história e na construção do país que somos hoje.

 

Ao recorrer ao testemunho de múltiplas fontes portuguesas e estrangeiras que até hoje têm sido pouco utilizadas, apresenta uma nova perspectiva sobre este episódio algo esquecido pela historiografia das últimas décadas.


Sobre o Autor
Miguel Gomes Martins nasceu em Lisboa em Fevereiro de 1965. É licenciado em História pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa e é mestre e doutor em História da Idade Média pela Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, grau que obteve com a dissertação intitulada Para Bellum. Organização e Prática da Guerra em Portugal durante a Idade Média (1245-1367), galardoada com o Prémio Defesa Nacional-2009. É autor de diversos trabalhos de História Militar Medieval (entre monografias, artigos e atas de congressos), de entre os quais se destacam os livros Lisboa e a Guerra (1367- 1411); A Vitória do Quarto Cavaleiro – O Cerco de Lisboa de 1384; A Alcaidaria e os Alcaides de Lisboa (1147-1433); As Cicatrizes da Guerra no Espaço Fronteiriço Português (1250- 1450), em co-autoria com João Gouveia Monteiro e galardoado com o Prémio Cunha Serra, da Academia Portuguesa de História-2011; e De Ourique a Aljubarrota. É técnico superior do Gabinete de Estudos Olisiponenses, colaborador do Centro de Estudos de História da Sociedade e da Cultura da Universidade de Coimbra e investigador integrado do Instituto de Estudos Medievais, da Faculdade de Ciências Sociais Humanas da Universidade Nova, onde leciona a cadeira opcional de História da Guerra na Idade Média.


Saiba Mais

 

30
Jun17

História Militar de Portugal - Nuno Severiano Teixeira, Francisco Contente Domingues e João Gouveia Monteiro

A arte da guerra.

capa

Editora: Esfera dos Livros - 728 páginas - Lançamento: junho de 2017

 

Da batalha de São Mamede a Aljubarrota, da Conquista de Ceuta a Alcácer-Quibir, da Restauração às Invasões Francesas, da Batalha de La Lys às missões no Líbano ou no Afeganistão. As guerras da Fundação e da Independência. A construção do império e a descolonização. As guerras civis e as revoluções. As Guerras Liberais e a implantação da República. A ditadura militar, o 25 de Abril e a democracia. Os historiadores Nuno Severiano Teixeira, Francisco Contente Domingues e João Gouveia Monteiro cobrem quase mil anos de História, desde 1096 aos tempos que vivemos, analisando o recrutamento e a composição dos exércitos, das armadas e, mais recentemente, da força aérea. A evolução do armamento e das tecnologias militares. As estratégias, as táticas e as operações. História Militar de Portugal fala-nos destes aspetos ao pormenor, mas também nos apresenta a guerra e as guerras em contexto, nas suas relações com a economia, a sociedade, o poder politico - e a nossa identidade enquanto nação.

 

Saiba Mais

 

11
Jun17

Lustrum - Robert Harris

Cego pela ambição,
seduzido pelo poder,
destruído por Roma

capa

Editora: Presença - 448 páginas - Lançamento: junho 2017

 

Lustrum é o segundo volume desta soberba trilogia sobre a vida de Cícero, o político e orador brilhante que viveu durante um dos períodos mais conturbados da história de Roma. Corre o ano de 63 a, C, e Cícero acaba de ser eleito cônsul, mas muitos são aqueles que cobiçam o poder - César, o seu rival implacável; Pompeu, o general mais importante da república; Crasso, o homem mais rico; Catão, um político fanático; Clódia, um playboy movido pela ambição; e Catilina, um psicopata que conspira contra Cícero e contra a própria república de Roma.

 

O narrador é Tirão, secretário pessoal de Cícero ao longo de quase quatro décadas, e é através do seu olhar astuto que entramos nos meandros políticos da Roma Antiga, na finíssima e labiríntica teia de traições, intrigas, sedução e crueldade que a envolve. Com uma fundamentação histórica irrepreensível e um virtuosismo literário exuberante, Lustrum evoca a Roma de Cícero com uma vivacidade raramente conseguida.

 

Sobre o Autor
Robert Harris nasceu em Nottingham em 1957 e formou-se na Universidade de Cambridge. Foi jornalista nos programas da BBC Panorama e Newsnight, antes de se tornar editor político do jornal Observer em 1987, e depois colunista do The Sunday Times e Daily Telegraph. Em 2003 foi nomeado Colunista do Ano pelo British Press Awards. É autor dos bestsellers Fatherland, Enigma e Archangel, publicados pela Bertrand.

 

Saiba Mais

 

 

04
Jun17

Sob os Céus do Estoril - Maria João Fialho Gouveia

Com a guerra a varrer o mundo,
e segredos a separá-los,
conseguirá o amor vencer?

capa

Editora: Topseller - 428 páginas - Lançamento: abril 2017

 

Irá a guerra separar o que o amor uniu?

 

Em plena Segunda Guerra Mundial, as elites europeias refugiam-se no Estoril, num ambiente de glamour e elegância. A paz garantida pelo regime de Salazar, não atrai, no entanto, apenas a alta sociedade. No meio de todas as festas e bailes, as forças de espionagem de ambos os lados do conflito vão-se movimentando. É neste ambiente que Bernardo, um bon vivant despreocupado, e Emily, uma espia aliada, se apaixonam.

 

Sentindo a pressão da guerra, Bernardo e Emily lutam para proteger o seu amor do jogo da espionagem. Emily, no entanto, recebe ordens de um misterioso espião, conhecido como The Weasel, para empreender uma missão onde arriscará não só a sua segurança como também informação vital para os Aliados.

 

Quando a missão a obriga a deixar o Estoril e a romper a relação com Bernardo, acaba por se envolver com Dieter, um jovem alemão que lhe garante não ter qualquer ligação à causa de Hitler. A verdade não seria assim tão simples.

 

Esta é a história do pecado de Emily, que irá pôr em causa a sua vida e inúmeras outras, numa guerra travada ao longe.


Sobre a Autora
Maria João Fialho Gouveia nasceu em 1961, em Lisboa. Cresceu e estudou no Estoril, tendo depois cursado Comunicação Social na Universidade Nova de Lisboa. É ainda diplomada em Inglês pela Universidade de Cambridge.
Começou a sua carreira de jornalista aos 18 anos, conciliando-a depois com o ensino. Escreveu para o Blitz durante 16 anos, foi colaboradora do Se7e e do diário A Capital, integrou a equipa da Antena 1, trabalhou 6 anos em publicidade e foi redactora da revista VIP. Neta de professora, cedo descobriu o gosto pela leitura e pela escrita. Amante da cultura e da arte, tem agora em curso uma licenciatura em História, que faz por mero prazer. E é com igual amor que se aventura agora na escrita.

 

 

Saiba Mais

 

 

 

02
Jun17

Os Romanov (1613 - 1825), Volume I: Ascensão - Simon Sebag Montefiore

Os Romanov foram a mais bem-sucedida dinastia dos tempos modernos.

capa

Editorial Presença - 536 páginas - Lançamento: maio 2017

 

Como foi possível uma família transformar um reino débil e arruinado, devido à guerra civil, no maior império do mundo?

 

E como deitaram tudo a perder?

 

Esta é a história de vinte czares e czarinas, alguns tocados pelo génio, outros pela loucura, mas todos inspirados pela sagrada autocracia e ambição imperial.

 

Esta arrebatadora narrativa revela de forma magistral a família Romanov - o seu mundo secreto de poder ilimitado, a implacável construção de um império, ensombrado por conspirações palacianas, rivalidades familiares, assassinatos, decadência e excessos sexuais, a influência dos cortesãos, aventureiros, revolucionários e poetas.

 

É apresentado um vasto painel de figuras desde Ivan, o Terrível, a Tolstoy, da rainha Vitória a Lenine, de Pedro, o Grande, a Catarina, a Grande, até Nicolau II e Alexandra que, apesar do seu casamento feliz, se revelaram incapazes de salvar a Rússia da Primeira Guerra Mundial e da Revolução.

 

Baseado numa aprofundada pesquisa de arquivos a que nunca tinha havido acesso, esta é uma obra fascinante e indispensável para conhecer a história empolgante de triunfo e de tragédia, de amor e de morte, de uma família e de um imenso país - um estudo universal do poder e um retrato essencial do império que define a Rússia atual.

 

Uma obra de leitura obrigatória que a Presença publica em dois volumes.


Sobre o Autor
Simon Sebag Montefiore, nascido em 1965, foi leitor de História no Gonville & Caius College, Cambridge. Passou a maior parte dos anos 90 a percorrer o ex-Império Soviético, em particular o Cáucaso, a Ucrânia e a Ásia Central, e escreveu abundantemente sobre a Rússia, sobretudo para o Sunday Times, o New York Times e a Spectator. 

 

Prince of Princes: the Life of Potemkin foi publicado em 2000 e nomeado para o Samuel Johnson Prize, o Duff Cooper Prize e o Marsh Biography Prize. Estaline, a Corte do Czar Vermelho, ganhou o History Book of the Year Award, atribuído pela British Book Awards. Membro da Royal Society of Literature, autor de dois romances e apresentador de documentários televisivos, vive em Londres com a mulher, a romancista Santa Montefiore, e os dois filhos do casal.

 

Saiba Mais

 

 

 

02
Jun17

Leonardo e Miguel Ângelo - Stephanie Storey

Ambos desejam a glória.
Mas qual deixará o maior legado artístico?

capa

Editora: Topseller - 352 páginas - Lançamento: maio 2017

 

Um romance extraordinário sobre a rivalidade entre dois artistas geniais, que resultou na criação de Mona Lisa e David.

 

No início do século XVI, Miguel Ângelo Buonarroti e Leonardo da Vinci viviam e trabalhavam em Florença. Quando se conheceram, Leonardo era um homem bem-parecido de 50 anos que se encontrava no auge da fama, enquanto Miguel Ângelo era um desmazelado escultor de 26 anos, desesperado por deixar o seu nome na História.

 

A rivalidade entre ambos tem início quando, em 1501, Miguel Ângelo consegue que lhe seja atribuída a si, e não ao grande mestre Leonardo, a encomenda para esculpir aquela que viria a ser a escultura mais famosa de todos os tempos: David.

 

Após perder tão ansiada obra, a vida de Leonardo começa a desmoronar-se. É então que conhece uma mulher por quem fica encantado e cujo retrato aceita pintar. O seu nome é Lisa, e tornar-se-á a sua musa.

 

Leonardo despreza a falta de sofisticação de Miguel Ângelo mas, ao mesmo tempo, admira-o. Por seu lado, este rejeita a genialidade de Leonardo tanto quanto a venera. Ambos tentam superar-se criando extraordinárias obras-primas.

 

Ambos desejam a glória, mas qual será considerado o maior artista do seu tempo?

 


Sobre a Autora
Stephanie Storey, norte-americana, é escritora e uma apaixonada por arte. Licenciou-se em Belas Artes e frequentou um doutoramento em História da Arte, que suspendeu para fazer um mestrado em Escrita Criativa. Estudou Arte em Itália e fez uma peregrinação com o objetivo de ver todos os trabalhos de Miguel Ângelo expostos na Europa.

 

Atualmente, vive em Los Angeles com o marido e, quando não se encontra a escrever romances ou guiões, trabalha como produtora de televisão para canais como a CBS e a PBS. Leonardo e Miguel Ângelo: Dois Génios Rivais é o seu primeiro romance e foi bestseller do Los Angeles Times.

 

Saiba Mais

 

 

 

 

01
Jun17

Dinastia - Tom Holland

Ascensão e Queda da Casa de César

capa

 Editora: Vogais - 512 páginas - Lançamento: maio 2017

 

O retrato da família que transformou o Império Romano para sempre.

 

Augusto - Tibério - Calígula - Cláudio - Nero.

 

Primeiro governada por reis, Roma tornar-se-ia uma república. Mas no fim, após conquistar o mundo, a república desmoronou-se. Roma afogou-se em sangue. As guerras civis foram tão terríveis, que o povo romano acolheu de bom grado o governo de um autocrata que lhes poderia dar a paz. «Augusto», o seu novo senhor, intitulava-se O Divino Favorito.

 

O fantástico esplendor da dinastia fundada por Augusto nunca esmoreceu. Nenhuma outra família se compara em fascínio com a sua galeria de personagens: Tibério, o grande general que acabou os seus dias como um recluso amargurado, célebre pelas suas perversões; Calígula, o mestre da crueldade e humilhação; Agripina, a mãe de Nero, cujas manobras levaram o filho ao poder, e que acabaria por morrer por ordem dele; Nero, que pontapeou a mulher grávida até à morte, que se casou com um eunuco, e que ergueu um palácio de prazer no centro dos escombros de uma Roma destruída pelo fogo.

 

Sobre o Autor
Tom Holland é o autor de uma série de romances fantásticos — O Vampiro: A História Secreta de Lorde Byron (Planeta, 2008), Attis (1995), Supping with Panthers (1996) e The Sleeper in the Sands (1998). Atualmente dedica-se a escrever obras de não-ficção de grande fôlego histórico, nomeadamente Fogo Persa - O Primeiro Império Mundial e a Luta pelo Ocidente (2006), Rubicão - O Triunfo e a Tragédia da República Romana (2008), e Milénio - O Fim do Mundo e a Expansão do Cristianismo (2009), todos publicados em Portugal pela Alêtheia.

 

Saiba Mais