Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Todos os Livros

Todas as novidades literárias das editoras portuguesas.

Todos os Livros

Todas as novidades literárias das editoras portuguesas.

17
Abr22

A Papisa Joana - Donna Woolfolk Cross

Um dos mais adorados romances históricos das últimas décadas.

A Papisa Joana - Donna Woolfolk Cross

Editor: Editorial Presença - 488 páginas - Lançamento: janeiro de 2022

 

Idade das Trevas, ano 855. Joana nasce humildemente mas o seu destino está para lá dos limites que lhe impõem - e para lá dos limites da nossa imaginação.

Lutas de poder, conspirações ardilosas, segredos políticos e fanatismos sangrentos. Esta é a história da notável ascensão de uma mulher que não aceita ser o que os outros julgam e esperam dela.

Dotada de uma inteligência extraordinária e de uma imensa força de carácter, a jovem Joana supera todos os obstáculos e atinge o mais elevado grau da hierarquia religiosa católica: o trono de S. Pedro. Mas o poder tem um preço.

Mito ou verdade? História ou lenda? Durante séculos e séculos, a existência de Joana foi negada, mas este romance magnífico, apoiado numa rigorosa investigação histórica, devolve ao seu verdadeiro lugar a figura de Joana, a única Papisa da história.

Descubra o livro


Sobre a Autora

Nascida em 1947, nos EUA, é autora, entre outros livros, de A Papisa Joana, romance histórico e bestseller internacional. Donna Woolfolk Cross formou-se em Inglês na Universidade da Pensilvânia. Em Londres, foi assistente editorial na W.H. Allen and Company. Depois de regressar ao seu país, trabalhou numa empresa de publicidade e fez um mestrado em Literatura e Escrita na UCLA.

25
Mar22

O Sem Pavor - António da Costa Neves

Geraldo Sem Pavor torna-se num herói invejado
e capaz de liderar vastos exércitos

Descubra o livro

Editor: Saída de Emergência - 240 páginas - Lançamento: janeiro de 2022

 

Em 1146, o jovem Geraldo, aprendiz dos copistas do convento de Santa Cruz, deita fogo ao Scriptorium num ato de rebeldia, sendo obrigado a fugir à ira do recentemente coroado D. Afonso Henriques. Errando pelo al-Andaluz, assimila a cultura muçulmana enquanto veste o papel de agente duplo, mantendo-se leal ao rei português e à Reconquista Cristã na esperança de receber o perdão pelos seus atos e deixar um legado de honra ao seu filho.

Exímio cavaleiro e homem letrado, Geraldo Sem Pavor torna-se num herói invejado e capaz de liderar vastos exércitos. Ao longo dos anos seguintes, «o cão do Giraldo», como era tratado pelos muçulmanos, conquista territórios, desafiando sempre o poder dos almóadas com os seus homens que, de um simples bando de ladrões, se viriam a transformar num verdadeiro exército organizado de cavaleiros-vilãos.

Repleta de estratégia militar, intriga política e batalhas sangrentas, esta é a história do perspicaz e astuto Geraldo Geraldes, o Sem Pavor, um simples moçárabe de Santarém feito cavaleiro na época da Reconquista Cristã, e da sua ascensão a lenda. Prémio Literário Cidade de Almada - 2020

Descubra o livro


Sobre o Autor

António da Costa Neves nasceu em 1945, em Grândola. É licenciadoem História, pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, tendo, durante anos, publicado regularmente poesia em diversos jornais e revistas. Em 2006, o seu primeiro romance, Mataram o Chefe de Posto, sobre a temática da guerra colonial, ganhou o Prémio Literário Cidade de Almada. Depois disso iniciou uma frutuosa incursão pelo romance, contando atualmente com uma dezena de títulos, muitos dos quais igualmente premiados. /Adamastor, um romance de 2008, foi objeto de ensaio académico e tema de seminário na Universidade de Coimbra, e o romance Mea Culpa! foi selecionado, em 2010, como obra de referência para o Concurso Nacionalde Leitura do Ensino Secundário. No campo da poesia, o autor venceu o Prémio de Poesia e Ficção de Almada 2016 com a obra Trinta Sonetos Triviais.

22
Mar22

A Tomada de Madrid - Mário Silva Carvalho

Uma vitória improvável em batalha,
um amor impossível no coração

Descubra o livro

Editor: Saída de Emergência - 320 páginas - 

 

A Tomada de Madrid é um romance épico que nos conta como, em junho de 1706, o exército português conseguiu um dos maiores feitos da sua história: humilhar Espanha. Lavavam-se assim com sangue e glória os vexames sofridos um século atrás, quando Filipe de Espanha se proclamara rei de Portugal. É Francisco de Brites, oficial português, quem nos relata esses dias feitos de golpes de espada, pólvora e morte. Mas antes de entrar em Madrid com um exército de vinte mil homens, Francisco ocupara Salamanca. E foi nessa cidade que o militar - que sofreu várias mutilações nos campos de batalha - entregou a parte mais importante de si: o seu coração. Ficou com uma morena de olhos verdes que o seduziu de uma janela. Uma vitória improvável em batalha, um amor impossível no coração, cicatrizes em todo o corpo, as agruras do cárcere e da ingratidão… mais do que a história de um veterano português, este é o relato apaixonante de um período fundamental da História de Portugal que ficou soterrado nas memórias curtas das nossas gentes.

Descubra o livro


Sobre o Autor

Mário Silva Carvalho nasceu na Pampilhosa (Mealhada) em 1948. É licenciado em História pela Universidade de Coimbra. Iniciou as lides da escrita apenas depois de se aposentar da carreira de bancário, e o reconhecimento das suas obras foi imediato. Em 2012 ganhou o Prémio Literário João Gaspar Simões, atribuído pela Câmara Municipal da Figueira da Foz, com o romance Diário de Um Carbonário. Em 2014 venceu a 15.ª edição do Prémio Literário Dr. João Isabel com o conto O regresso do Artur. Foi-lhe igualmente atribuído o 1.º Prémio da XI edição do Concurso Literário Descobrir Vizela com o conto O Brasileiro de Vizella. Em 2016 publicou o romance A Tomada de Madrid e em 2017 recebeu uma menção honrosa do Prémio Ferreira de Castro de Ficção Narrativa com o romance A Amazona Portuguesa, publicado em 2018. Com o romance O Regresso a Quionga ganhou o Prémio Ferreira de Castro de Ficção Narrativa 2018.

21
Mar22

O Homem que Roubou Portugal - Murray Teigh Bloom

Desde o grande terramoto de 1755 que Portugal
não sofria um abalo económico tão profundo.

Descubra o livro

Editor: Alma dos Livros - 352 páginas - Lançamento: março de 2022

 

Era uma vez um jovem empresário português que estava à beira da falência. Decidiu sentar-se diante da sua máquina de escrever a fim de engendrar um crime impossível. Às 23h30 finalizou as quatro páginas do documento que faria dele, no prazo de um ano, o homem mais rico de Portugal. Tinha, então, 28 anos de idade. Em novembro de 1924, Artur Virgílio Alves Reis, ou Alves dos Reis, como era mais conhecido, provocou o maior crime financeiro da História de Portugal. Sem recursos, exceto ousadia e audácia, adquiriu o poder de imprimir o dinheiro do seu país.

O que parecia um plano com pouca eficácia de um homem com muita imaginação, acabou por causar problemas macroeconómicos inesperados. Desde o grande terramoto de 1755 que Portugal não sofria um abalo económico tão profundo. O valor da fraude foi calculado nuns extraordinários 2,6% do PIB da época. Nenhum outro golpe financeiro à escala global chegou sequer próximo desse porte. Tudo começou de forma simples, com uma falsificação que escalou descontroladamente - Alves dos Reis formou e capitalizou um banco, o Angola e Metrópole, através do qual a vilania se foi desdobrando e multiplicando, a tal ponto que esteve perto de nunca ter sido descoberta.

Uma história inacreditável sustentada na imaginação fértil dos ignorantes, na segurança dos desinformados e na sorte absurda dos principiantes, que ajudou ao enfraquecimento da democracia e a décadas de ditadura em Portugal. O Homem Que Roubou Portugal do renomado jornalista americano Murray Teigh Bloom, narra a incrível história de Alves dos Reis, desde o momento da elaboração do golpe, até ao julgamento dos réus, em 1930, e que contou, nas audiências finais, com a presença de Fernando Pessoa cujas notas se incluem no final deste livro.

Descubra o livro


Sobre o Autor

Murray Teigh Bloom, escritor e jornalista americano, nasceu em 19 de maio de 1916 em Nova Iorque. Recebeu o prémio de 50º aniversário da Columbia University Graduate School of Journalism, 1963, entre outros. Foi nomeado Profissional Excecional na Associação para a Educação em Jornalismo em 1994. Bloom serviu ainda no Exército dos Estados Unidos entre 1942 e 1946.

19
Mar22

Toda a Luz que Não Podemos Ver - Anthony Doerr

Uma amizade impossível
num mundo em guerra

Descubra o livro

Editor: Editorial Presença - 520 páginas

 

Marie-Laure é uma jovem cega que vive com o pai, o encarregado das chaves do Museu Nacional de História Natural em Paris. Quando as tropas de Hitler ocupam a França, pai e filha refugiam-se na cidade fortificada de Saint-Malo, levando com eles uma joia valiosíssima do museu, que carrega uma maldição.


Werner Pfenning é um órfão alemão com um fascínio por rádios, talento que não passou despercebido à temida escola militar da Juventude Hitleriana. Seguindo o exército alemão por uma Europa em guerra, Werner chega a Saint-Malo na véspera do Dia D, onde, inevitavelmente, o seu destino se cruza com o de Marie-Laure, numa comovente combinação de amizade, inocência e humanidade num tempo de ódio e de trevas.

 

Descubra o livro


Sobre o Autor

Anthony Doerr nasceu em Cleveland, no Ohio em 1973. Vive com a mulher e os dois filhos em Boise, no Idaho. Publicou os livros de contos - The Shell Collector (2002) e Memory Wall (2010), uma autobiografia Four Seasons in Rome (2007) e dois romances, About Grace (2004) e Toda a Luz que não Podemos Ver, que foi finalista do National Book Award em 2014 e bestseller número 1 do New York Times. Anthony Doerr já foi galardoado com vários prémios, tanto nos Estados Unidos como noutros países: quatro O. Henry Prizes, três Pushcart Prizes, dois Pacific Northwest Book Awards, três Ohioana Book Awards, Barnes & Noble Discover Prize, Rome Prize, New Yorker Public Library’s Young Lions Award, Guggenheim Fellowship, NEA Fellowship, National Magazine Award para ficção. Em 2010, recebeu o Story Prize, um dos mais prestigiados prémios nos Estados Unidos e o Sunday Times EFG Short Story Award. Em 2007 a revista literária Granta considerou Anthony Doerr um dos melhores jovens romancistas americanos.

19
Mar22

Violeta - Isabel Allende

Romance épico, inspirador e emotivo,
ao melhor estilo de Isabel Allende
Descubra o livro

Editor: Porto Editora - 360 páginas - Lançamento: janeiro de 2022

 

Violeta del Valle é a primeira rapariga numa família de cinco irmãos truculentos. Nasce num dia de tempestade, em 1920, quando ainda se sentem os efeitos devastadores da Grande Guerra e a gripe espanhola chega ao seu país natal, na América do Sul.


Graças à ação determinada do pai, a família sairá incólume desta crise, apenas para ter de enfrentar uma outra: a Grande Depressão. A elegante vida urbana que Violeta conhecia até então muda drasticamente. Os Del Valle são forçados a viver numa região selvagem e remota, onde Violeta atinge a maioridade e viverá o primeiro amor.

Décadas depois, numa longa carta dirigida ao seu companheiro espiritual, o mais profundo amor da sua longa existência, Violeta relembra desgostos amorosos e apaixonadas relações, momentos de pobreza e de prosperidade, perdas terríveis e alegrias imensas. A sua vida será moldada por alguns dos momentos mais importantes da História: a luta pelos direitos da mulher, a ascensão e queda de tiranos, os ecos longínquos da Segunda Guerra Mundial.

 

Descubra o livro


Sobre a Autora

Isabel Allende nasceu em 1942 no Peru. Viveu no Chile entre 1945 e 1975, com largos períodos de residência noutros locais, na Venezuela até 1988 e, desde então, na Califórnia. Em 1982, o seu primeiro romance, A casa dos espíritos, converteu-se num dos títulos míticos da literatura latino-americana. Seguiram-se muitos outros, todos êxitos internacionais. A sua obra está traduzida em trinta e cinco línguas. Entre outras distinções, foi galardoada com o Prémio Nacional de Literatura do Chile e agraciada, em 2014, com a Medalha Presidencial da Liberdade, por Barack Obama. Em setembro de 2020 recebeu o Prémio Liber, outorgado pela Federación de Gremios de Editores de España, que a classifica como a autora latino-americana mais destacada da atualidade.

21
Set17

1147 - Miguel Gomes Martins

A Conquista de Lisboa na Rota da Segunda Cruzada

capa

Editora: A Esfera dos Livros -  400 páginas - Lançamento: setembro de 2017

 

«Na manhã do dia 3 de Agosto de 1147, os combatentes cristãos estacionados em redor de Lisboa ultimavam os preparativos para o assalto à cidade. Não é difícil imaginar a azáfama nos três acampamentos, com esses homens a fazer as derradeiras verificações no armamento, a comer uma refeição que poderia ser a última, a despedir-se das companheiras, a rezar e a confessar-se, ou seja, a preparar o corpo e o espírito para o que se iria seguir.»

 

A conquista de Lisboa aos muçulmanos, comandada por D. Afonso Henriques e coadjuvada pelos Cruzados, teve início em Julho de 1147 e terminou em Outubro do mesmo ano. Como decorreram os primeiros embates e as primeiras negociações? Como foram instalados os arraiais e progressivamente dominadas as imediações da cidade? Como foram geridos os mantimentos durante os quatro meses que durou o cerco? Que máquinas de guerra se usaram para derrubar o inimigo? E, uma vez conquistada Lisboa, que rumo tomou a Segunda Cruzada antes de terminar no falhanço de Damasco?

 

Partindo de novas informações sobre a História Militar da Idade Média, a Lisboa muçulmana e a História da Cruzada, Miguel Gomes Martins reconstitui, de uma forma rigorosa e eloquente, este acontecimento decisivo na nossa história e na construção do país que somos hoje.

 

Ao recorrer ao testemunho de múltiplas fontes portuguesas e estrangeiras que até hoje têm sido pouco utilizadas, apresenta uma nova perspectiva sobre este episódio algo esquecido pela historiografia das últimas décadas.


Sobre o Autor
Miguel Gomes Martins nasceu em Lisboa em Fevereiro de 1965. É licenciado em História pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa e é mestre e doutor em História da Idade Média pela Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, grau que obteve com a dissertação intitulada Para Bellum. Organização e Prática da Guerra em Portugal durante a Idade Média (1245-1367), galardoada com o Prémio Defesa Nacional-2009. É autor de diversos trabalhos de História Militar Medieval (entre monografias, artigos e atas de congressos), de entre os quais se destacam os livros Lisboa e a Guerra (1367- 1411); A Vitória do Quarto Cavaleiro – O Cerco de Lisboa de 1384; A Alcaidaria e os Alcaides de Lisboa (1147-1433); As Cicatrizes da Guerra no Espaço Fronteiriço Português (1250- 1450), em co-autoria com João Gouveia Monteiro e galardoado com o Prémio Cunha Serra, da Academia Portuguesa de História-2011; e De Ourique a Aljubarrota. É técnico superior do Gabinete de Estudos Olisiponenses, colaborador do Centro de Estudos de História da Sociedade e da Cultura da Universidade de Coimbra e investigador integrado do Instituto de Estudos Medievais, da Faculdade de Ciências Sociais Humanas da Universidade Nova, onde leciona a cadeira opcional de História da Guerra na Idade Média.


Saiba Mais

 

30
Jun17

História Militar de Portugal - Nuno Severiano Teixeira, Francisco Contente Domingues e João Gouveia Monteiro

A arte da guerra.

capa

Editora: Esfera dos Livros - 728 páginas - Lançamento: junho de 2017

 

Da batalha de São Mamede a Aljubarrota, da Conquista de Ceuta a Alcácer-Quibir, da Restauração às Invasões Francesas, da Batalha de La Lys às missões no Líbano ou no Afeganistão. As guerras da Fundação e da Independência. A construção do império e a descolonização. As guerras civis e as revoluções. As Guerras Liberais e a implantação da República. A ditadura militar, o 25 de Abril e a democracia. Os historiadores Nuno Severiano Teixeira, Francisco Contente Domingues e João Gouveia Monteiro cobrem quase mil anos de História, desde 1096 aos tempos que vivemos, analisando o recrutamento e a composição dos exércitos, das armadas e, mais recentemente, da força aérea. A evolução do armamento e das tecnologias militares. As estratégias, as táticas e as operações. História Militar de Portugal fala-nos destes aspetos ao pormenor, mas também nos apresenta a guerra e as guerras em contexto, nas suas relações com a economia, a sociedade, o poder politico - e a nossa identidade enquanto nação.

 

Saiba Mais

 

11
Jun17

Lustrum - Robert Harris

Cego pela ambição,
seduzido pelo poder,
destruído por Roma

capa

Editora: Presença - 448 páginas - Lançamento: junho 2017

 

Lustrum é o segundo volume desta soberba trilogia sobre a vida de Cícero, o político e orador brilhante que viveu durante um dos períodos mais conturbados da história de Roma. Corre o ano de 63 a, C, e Cícero acaba de ser eleito cônsul, mas muitos são aqueles que cobiçam o poder - César, o seu rival implacável; Pompeu, o general mais importante da república; Crasso, o homem mais rico; Catão, um político fanático; Clódia, um playboy movido pela ambição; e Catilina, um psicopata que conspira contra Cícero e contra a própria república de Roma.

 

O narrador é Tirão, secretário pessoal de Cícero ao longo de quase quatro décadas, e é através do seu olhar astuto que entramos nos meandros políticos da Roma Antiga, na finíssima e labiríntica teia de traições, intrigas, sedução e crueldade que a envolve. Com uma fundamentação histórica irrepreensível e um virtuosismo literário exuberante, Lustrum evoca a Roma de Cícero com uma vivacidade raramente conseguida.

 

Sobre o Autor
Robert Harris nasceu em Nottingham em 1957 e formou-se na Universidade de Cambridge. Foi jornalista nos programas da BBC Panorama e Newsnight, antes de se tornar editor político do jornal Observer em 1987, e depois colunista do The Sunday Times e Daily Telegraph. Em 2003 foi nomeado Colunista do Ano pelo British Press Awards. É autor dos bestsellers Fatherland, Enigma e Archangel, publicados pela Bertrand.

 

Saiba Mais

 

 

04
Jun17

Sob os Céus do Estoril - Maria João Fialho Gouveia

Com a guerra a varrer o mundo,
e segredos a separá-los,
conseguirá o amor vencer?

capa

Editora: Topseller - 428 páginas - Lançamento: abril 2017

 

Irá a guerra separar o que o amor uniu?

 

Em plena Segunda Guerra Mundial, as elites europeias refugiam-se no Estoril, num ambiente de glamour e elegância. A paz garantida pelo regime de Salazar, não atrai, no entanto, apenas a alta sociedade. No meio de todas as festas e bailes, as forças de espionagem de ambos os lados do conflito vão-se movimentando. É neste ambiente que Bernardo, um bon vivant despreocupado, e Emily, uma espia aliada, se apaixonam.

 

Sentindo a pressão da guerra, Bernardo e Emily lutam para proteger o seu amor do jogo da espionagem. Emily, no entanto, recebe ordens de um misterioso espião, conhecido como The Weasel, para empreender uma missão onde arriscará não só a sua segurança como também informação vital para os Aliados.

 

Quando a missão a obriga a deixar o Estoril e a romper a relação com Bernardo, acaba por se envolver com Dieter, um jovem alemão que lhe garante não ter qualquer ligação à causa de Hitler. A verdade não seria assim tão simples.

 

Esta é a história do pecado de Emily, que irá pôr em causa a sua vida e inúmeras outras, numa guerra travada ao longe.


Sobre a Autora
Maria João Fialho Gouveia nasceu em 1961, em Lisboa. Cresceu e estudou no Estoril, tendo depois cursado Comunicação Social na Universidade Nova de Lisboa. É ainda diplomada em Inglês pela Universidade de Cambridge.
Começou a sua carreira de jornalista aos 18 anos, conciliando-a depois com o ensino. Escreveu para o Blitz durante 16 anos, foi colaboradora do Se7e e do diário A Capital, integrou a equipa da Antena 1, trabalhou 6 anos em publicidade e foi redactora da revista VIP. Neta de professora, cedo descobriu o gosto pela leitura e pela escrita. Amante da cultura e da arte, tem agora em curso uma licenciatura em História, que faz por mero prazer. E é com igual amor que se aventura agora na escrita.

 

 

Saiba Mais

 

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D